Caminhoneira 'Musa das Estradas' releva sequelas 9 meses após acidente: 'Negócio comigo foi feio'

Catarinense contou na web que é acompanhada por fisioterapeuta para trabalhar a musculatura do rosto e das mãos. Acidente aconteceu no iníci...

Catarinense contou na web que é acompanhada por fisioterapeuta para trabalhar a musculatura do rosto e das mãos. Acidente aconteceu no início do ano.

Do G1 

Nove meses depois de sofrer um acidente, a caminhoneira Aline Fuchter, conhecida como a "Musa das Estradas", disse que ainda não consegue sorrir e segue com os movimentos das mãos comprometidos: "O negócio comigo foi feio".

Reprodução

O acidente aconteceu em 13 de janeiro, no Mato Grosso, e envolveu outro caminhão. Aline ficou gravemente ferida e precisou passar por várias cirurgias.

Em um vídeo publicado no Youtube na segunda-feira (19), a catarinense afirmou aos seguidores que é acompanhada por fisioterapeuta e que, durante as viagens, utiliza um aparelho portátil que dá "choquinhos" e faz o músculo "trabalhar o sorriso".

Em um vídeo publicado no Youtube na segunda-feira (19), a catarinense afirmou aos seguidores que é acompanhada por fisioterapeuta e que, durante as viagens, utiliza um aparelho portátil que dá "choquinhos" e faz o músculo "trabalhar o sorriso".

A publicação já tinha passado de 214 mil visualizações nesta terça-feira (20).

"No começo eu só comia sopa, [agora] eu já como comida. Levantar o sorriso igual antes eu não consigo. Mas, como diz o médico, é exercício para estimular o músculo", comentou.

Veja também:


A primeira viagem após o acidente aconteceu em junho. No vídeo publicado nesta semana, ela lembrou que, na época, sentia as limitações ainda mais intensas.

"Eu fiquei muito tempo parada, o negócio comigo foi feio. Eu fiquei até sem força nos músculos que eu não sofri nada", diz. Ela relatou que, no primeiro dia da viagem, não conseguiu abrir a caixa onde ficam as malas do caminhão e, por isso, usava a perna para fazer o movimento.

"Tenho fé que ano que vem vai estar tudo 100%", afirmou.

Tratamento

De acordo com a fisioterapeuta Caryne Nascimento, sequelas como a da caminhoneira Aline Fuchter são comuns após acidentes graves de trânsito.

"Tem que ser feito fisioterapia para ativar neurônios que não foram treinados para fazer tais movimentos", explicou.

Ela destacou a necessidade de utilizar aparelhos profissionais durante o tratamento. Em casos como o de Aline, é importante, segundo a fisioterapeuta, que sejam usadas ferramentas que promovam um ponto de contração e de relaxamento, fazendo com que a musculatura volte a funcionar.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Brasil 6056213983364231196

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item