Dançarina tem corpo queimado em bronzeamento artificial: 'Delirei de febre'

A dançarina contou que tanto ela quanto a mãe, ganhou de cortesia uma sessão de bronzeamento Créditos:  UOL Reprodução A dançarina e DJ Dann...

A dançarina contou que tanto ela quanto a mãe, ganhou de cortesia uma sessão de bronzeamento

Créditos: UOL

Reprodução

A dançarina e DJ Danny Albuquerque, 24, foi aos stories do Instagram compartilhar o drama que tem vivido depois de sofrer queimaduras causadas por uma cabine de bronzeamento artificial. Ela, que nunca havia feito o procedimento, recebeu um convite para ser modelo de uma marca de estética e topou, já que a dona do empreendimento garantiu que tudo seria feito com segurança.

O que Danny não sabia, no entanto, é que essa técnica para bronzear a pele, amplamente divulgada por clínicas de estéticas, é proibida pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) desde 2009.

Para Universa, a dançarina contou que tanto ela quanto a mãe, que ganhou de cortesia uma sessão de bronzeamento, não sentiram nada durante o procedimento realizado no dia 3 de agosto, em Itabira (MG). As consequências só foram percebidas no dia seguinte, quando as duas acordaram com sintomas como náusea, dor de cabeça e confusão mental.

"Minha mãe estava achando que era algo relacionado ao remédio de pressão alta que ela toma e, de início, eu não estava sentindo nada. À tarde, comecei a sentir ardência no corpo e muita dor de cabeça", contou. A sensação de ardência foi piorando e, no segundo dia após o procedimento, as queimaduras apareceram.

Na mãe da dançarina, as lesões ficaram restritas às axilas e com um aspecto de vermelhidão. No caso de Danny, as queimaduras de segundo grau se espalharam pelo corpo, começando primeiro pela bun,da, depois a barriga e as costas, até se espalharem por toda a pele.

"Começou a dar bolhas e foi ficando mais vermelho, cada hora aparecia uma queimadura em alguma parte do meu corpo e não tinha o que fazer para aquilo parar, porque era uma coisa de dentro para fora", lembra ela. Neste dia, Danny tinha um show para fazer em outra cidade que, mesmo com o mal-estar, não podia cancelar. Para isso, ela tomou um remédio para dor e usou uma pomada indicada pela mulher que havia feito o procedimento.

"Não tinha tanta noção da gravidade. Quando cheguei em casa, estava toda marcada, e a minha mãe se assustou com a situação que viu. Eu estava com febre, até delirando, à base de medicamento para passar a dor", conta Danny. Depois disso, ela foi levada ao hospital onde, conforme contou para Universa, os médicos afirmaram que "nunca viram um caso de tanta queimadura causada por cabine de bronzeamento".

Veja também:


Desde então, ela começou a fazer acompanhamento especializado e viu sua rotina ser totalmente alterada, já que precisa passar pomadas na pele de duas em duas horas, o que a impede de cumprir seus compromissos profissionais. "Perdi muitos shows e oportunidades, estava com data para mudar de cidade com grandes expectativas e tive que adiar", afirma.

Segundo Danny, a mulher que ofereceu o procedimento afirmou que houve uma falha técnica na cabine de bronzeamento, o que fez com que esquentasse mais do que o normal. No entanto, a dançarina pediu o laudo da perícia da máquina, mas não teve retorno. "Não tenho certeza se foi isso que aconteceu, porque ela não me passou ainda", afirmou.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Brasil 7723769852136896041

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item