Major dos bombeiros sequestrado por traficantes foi queimado vivo, diz comandante-geral

A perícia da Delegacia de Homicídios da Capital confirmou a identidade do corpo através de digitais Créditos: Da Folha Reprodução O corpo do...

A perícia da Delegacia de Homicídios da Capital confirmou a identidade do corpo através de digitais

Créditos: Da Folha

Reprodução

O corpo do major dos bombeiros Wagner Bonin, 42, foi encontrado carbonizado na zona norte do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada nesta quinta (17) pelo secretário de Defesa Civil e comandante-geral dos bombeiros, coronel Leandro Monteiro.

"Infelizmente marginais covardes acabaram de ass4ssinar o major Wagner Bonin em São João de Meriti", escreveu o comandante. A perícia da Delegacia de Homicídios da Capital confirmou a identidade do corpo através de digitais, e o resultado da perícia indicou que o major foi queimado ainda vivo.

Os investigadores trabalham com a hipótese de que o major teria tirado fotos de uma barricada instalada próximo ao local onde ele morava, em São João de Meriti, na região metropolitana, e entregue a um policial militar. Até o momento não foi encontrado nenhum registro oficial da denúncia.

Bonin tinha fotos de barricadas em seu celular, mas não se sabe, ainda, se ele as tirou e de qual local.

Por meio do computador, os agentes acessaram o histórico de conversas do major em um aplicativo e descobriram que as imagens foram depois repassadas para um contato que não estava na agenda do policial e que, segundo a polícia, seria integrante do tráfico.

Os investigadores acreditam que os próprios criminosos manipularam o aparelho do agente e repassaram as fotos para solicitar autorização para o homicídio.

Além disso, em uma das últimas mensagens enviadas pelo oficial, na tarde desta quarta (16), ele escreveu a outro bombeiro que acabara de ver um fuzil.

Veja também:

O desaparecimento não chegou a ser registrado. Foi sua esposa que estranhou a demora dele em retornar do trabalho e, ao acionar a localização remota do celular, o aparelho apareceu próximo ao complexo do Chapadão, na Pavuna, área do tráfico na zona norte.

A suspeita é de que o militar tenha sido capturado próximo a sua residência e encontrado horas depois.

Com a morte do major, a Polícia Militar realiza uma operação de retirada de barricadas na comunidade da Jaqueira, no bairro São Mateus, na Baixada Fluminense.

Em nota, a corporação destacou que agentes do 21° BPM (São João de Meriti) realizam inúmeras ações para remoção de barricadas diariamente. Até o momento, não há registro de prisões ou apreensões na comunidade.

Parentes da vítima usaram as redes sociais para se despedir. "Pessoa maravilhosa que foi tirada de nós, de forma tão terrível. Não dá pra mensurar a dor que a nossa família sente nesse momento. Horrorizada com a violência nessa cidade dita 'maravilhosa'. Deus te guarde, primo. Te amo", disse uma prima do major.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Brasil 5155423936482037859

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item