Fisiculturista de 30 anos encontrada morta em hotel de SP sofreu infarto, aponta laudo do IML

Outro laudo apontou que o infarto não foi causado por substâncias químicas. Créditos: Do G1 Reprodução O laudo necroscópico do Instituto Méd...

Outro laudo apontou que o infarto não foi causado por substâncias químicas.

Créditos: Do G1

Reprodução

O laudo necroscópico do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a fisiculturista argentina Johana Soledad Colla, de 30 anos, que foi encontrada morta no quarto de um hotel em São Paulo em 8 de outubro, sofreu um infarto agudo do miocárdio.

Ainda conforme a reportagem apurou, o laudo toxicológico apontou que o infarto não foi causado por nenhuma sustância química. Os exames referentes a fármacos, praguicidas e substâncias voláteis deram negativos.

A partir dos resultados, a Polícia Civil anexará os laudos do IML ao inquérito policial, que foi aberto no 13º DP. Com a conclusão, o caso será relatado como morte por causas naturais.

Morte após campeonato

Johana representou a Argentina no Campeonato Sul-Americano de Fisiculturismo e Fitness, na categoria Físico Feminino e foi vice-campeã na 47ª edição do torneio. O evento foi realizado entre 6 e 9 de outubro em um hotel no Parque Anhembi (leia mais abaixo quem era a atleta).

A atleta chegou a publicar um vídeo no seu perfil que mostra sua performance (veja vídeo acima). Em setembro, ela também foi vice-campeã em um campeonato em Córdoba, na Argentina.

Veja também:

De acordo com o boletim de ocorrência, foram feitas massagens cardíacas, mas a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou a morte à 1h20. Não havia sinais de violência.

Investigação

Segundo a polícia informou à TV Globo, depois da competição, Johana e o namorado dela voltaram para o hotel. Investigadores tiveram acesso às imagens das câmeras do estabelecimento, mas elas não foram divulgadas.

Nelas, os investigadores viram o casal chegar às 21h43. Os dois estavam tranquilos e felizes pela colocação de Johana no campeonato. Exatamente duas horas depois, quase no final da noite, o namorado dela saiu do quarto desesperado e pedindo socorro.

De acordo com o delegado que investiga o caso, o namorado disse em depoimento que Johana tomou um remédio para ansiedade um dia antes da competição.

À polícia, o companheiro da atleta também teria dito que "Johana usava anabolizantes e que parou 13 dias antes de competir para que a substância não fosse detectada num eventual exame antidoping".

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Brasil 1199301724902483125

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item