Médico que matou menino de 10 anos para retirar os órgãos dele é condenado à prisão

Álvaro Ianhez, um dos médicos acusados pela morte do menino Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos, para a retirada ilegal de órgãos, foi condena...

Álvaro Ianhez, um dos médicos acusados pela morte do menino Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos, para a retirada ilegal de órgãos, foi condenado a 21 anos e oito meses de prisão. O crime ocorreu em abril de 2000, na cidade mineira de Poços de Caldas. O veredito foi proferido na terça-feira, 19, pelo Tribunal do Júri de Belo Horizonte (MG).

Siga o Diário Sobralense no Google Notícias e acompanhe as notícias do dia em primeira mão.

Foto: Reprodução

Ele recebeu a condenação por homicídio duplamente qualificado: por motivo torpe e pelo fato de a vítima ter menos de 14 anos. Em 21 de abril de 2000, o garoto sofreu traumatismo craniano, quando caiu de uma altura de 10 metros. Depois de passar dois dias internado na Santa Casa local, o menino teve a morte encefálica decretada pelos médicos.

Segundo o Ministério Público de Minas Gerais, “essa foi uma das diversas irregularidades ocorridas no atendimento ao garoto”. “Como interessados no transplante de órgãos, havia vedação legal para que eles atuassem na constatação da morte do paciente”, sustenta a acusação.

Conforme a denúncia, Ianhez e os outros acusados agiram com intenção de forjar e documentar a morte de Paulo Pavesi, para a retirada ilegal de órgãos.

“Ele é o médico responsável pela retirada dos órgãos”, disse Dino Miraglia, advogado da família da vítima. “Ele era o médico que era o diretor da Santa Casa, onde se fazia o transplante de órgãos. Ele é o dono da clínica onde era feito o transplante ilegal de rim.”

VEJA MAIS
De acordo com Miraglia, uma das provas de que a morte do menino não havia ocorrido foi o uso da anestesia antes do transplante.

“Anestesiou porque não tinha morte cerebral”, afirmou. “Se não tinha morte cerebral, não podia ter transplante.”

Em janeiro de 2021, outros dois médicos, José Luiz Gomes da Silva e José Luiz Bonfitto, foram condenados a 25 anos de prisão. Entre os acusados, apenas Marcos Alexandre Pacheco da Fonseca foi absolvido pelo júri.

Fonte: Revista Oeste

Related

Brasil 58658519220627312

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item