Mulheres se alistam para ajudar a defender a Ucrânia; veja

Mulheres ucranianas decidiram se alistar no exército ucraniano para ajudar a defender o país diante da invasão russa. Siga o  Diário Sobrale...

Mulheres ucranianas decidiram se alistar no exército ucraniano para ajudar a defender o país diante da invasão russa.

Siga o Diário Sobralense no Google Notícias e acompanhe as notícias do dia em primeira mão.

Com o conflito entre Rússia e Ucrânia cada vez mais intenso, mulheres ucranianas tomaram a decisão de defender seu país lado a lado com os homens. Atletas, personalidades, mães e idosas se alistaram para as forças de defesa.

Foto: Reprodução

Conforme a publicação feita pelo Meganoticias, algumas das mulheres optaram por se alistar ao exército ucraniano. Entre elas, encontra-se a campeã mundial de tiro com arco, Solomiya Trapeznikova.

Enquanto algumas mulheres se preparam para batalha, outras se dedicam a fabricar armas e equipamentos para os soldados ucranianos.

Com a intensificação dos ataques, elas se escondem em um bunker enquanto realizam suas tarefas, como por exemplo a tecelagem de redes utilizadas para ajudar a esconder os tanques ucranianos.
Uma das mulheres que se alistou foi Lliia Trokhymets, que anteriormente ajudou a defender seu país durante os conflitos armados de 2014, quando perdeu amigos e membros de sua família.

“O sistema russo sempre tentou destruir a Ucrânia e sua cultura. Eles nos querem de joelhos”, afirma.
Elas estão decididas a defender seu país

Lliia ainda reforça que a atitude das mulheres ucranianas é um reflexo do sofrimento pelo qual passaram em suas vidas. “Nós sofremos tanto que agora não nos importamos se somos homens, mulheres, idosos ou crianças, não temos medo”. Defender o país tornou-se uma questão de dever e escolha.

“Meu pai ficou aqui, meu irmão está aqui e eu não vou sair daqui”.

—  Lliia Trokhymets

Por sua vez, a atleta de renome mundial, Solomiya Trapeznikova, ficou conhecida por suas conquistas esportivas nas provas de tiro com arco.

VEJA MAIS

Além de ser uma hábil atiradora, ela serviu ao exército ucraniano por oito anos e chegou a patente de Sargento-chefe. “Hoje, agora e aqui, de armas na mão, defenderei nosso país daqueles que atentam contra sua independência”.
O alistamento das mulheres se intensificou após a proibição aos homens de saírem do país. Para algumas, permanecer também é uma questão de defender os que foram obrigados a ficar: “Tenho que ficar com o meu filho e, por outro lado, preciso lutar pela minha família, pelo meu futuro e pelo meu pais”, afirma Yana Seryogina após se alistar nas forças de defesa.

Fonte: Metro

Related

Mundo 5027482091083173820

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item