Jovem surda viraliza ao contar como é ouvir música pela primeira vez

Isabela Coelho contou no Twitter quais foram os sons que mais agradaram ou desagradaram após implante coclear. ‘Starman’, de David Bowie, fo...

Isabela Coelho contou no Twitter quais foram os sons que mais agradaram ou desagradaram após implante coclear. ‘Starman’, de David Bowie, foi a mais próxima de uma ‘favorita.

Siga o Diário Sobralense no Google Notícias e acompanhe as notícias do dia em primeira mão.

Você já parou para pensar sobre o que te faz gostar das suas músicas favoritas? É só uma questão de “qualidade” do som, ou o prazer está mais relacionado ao conjunto de experiências sociais a que as músicas remetem? Essa foi uma das discussões que surgiram após a jovem surda Isabela Coelho “viralizar” nas redes sociais com o relato de como foi ouvir músicas pela primeira vez, aos 30 anos.

Foto: Reprodução

 A analista de qualidade de software decidiu criar a sequência de posts no Twitter para compartilhar com seus amigos como estava sendo o processo de adaptação do implante coclear (um aparelho auditivo), feito há três semanas. Mas ela não esperava que tivesse tanto alcance.

“Fiz a thread para os meus seguidores, que me pediram para relatar a experiência de músicas que nunca ouvi na vida. Eu imaginei que teria um pequeno alcance, mas não a esse ponto de ter tantos compartilhamentos e tantas curtidas. Realmente fiquei impressionada”, contou Isabela ao g1.

Algumas pessoas ficaram decepcionadas, porque as primeiras impressões sobre artistas consagrados como Bob Dylan e Pink Floyd não foram as melhores. Ela explicou, no entanto, que sua percepção pode mudar ao longo do tempo, já que o treino auditivo é um processo de aprendizagem.

“Vários sons podem ser estranhos nessa primeira fase do implante coclear, e o motivo é que o cérebro está aprendendo a ouvir, reconhecendo novos sons. Aos poucos, o cérebro vai assimilando, e quando vem a identificação, melhora. É como uma bagunça no seu quarto. Quando você procura alguma coisa que precisa e não acha no meio dessa bagunça”, diz.

Isabela também consultou um amigo musicista para tentar entender se havia uma razão técnica para alguns sons serem mais agradáveis para ela do que outros.
“Estou entendendo que quanto mais agudo, pior para mim. Me dou melhor com grave. Procurei um amigo que poderia entender melhor quais os meus incômodos, e fomos descobrindo. Como por exemplo: eu falava que tal minuto do vídeo que me incomodou muito, e ele disse que era um solo de guitarra.”

O incômodo com os agudos virou até “trolagem” de um amigo, que enviou o famoso falsete da MC Melody para saber a sua opinião.
Já Starman, de David Bowie, soou melhor aos ouvidos da Isabela. Embora ela ainda não consiga interpretar o que ele canta, ela afirma que consegue distinguir a voz do cantor da melodia dos instrumentos.

“AINDA não tenho uma [música] favorita, mas a que chega perto disso é Starman – David Bowie. É um som bem limpo e o ritmo é bem agradável de ouvir. Talvez tenha sido esse o objetivo do David Bowie”, afirma.
 
 VEJA MAIS“Por incrível que pareça, eu gostei de ouvir Vintage Culture. Muitos podem não entender por ser eletrônica, mas é justamente na eletrônica que é grave e há um padrão. É diferente de músicas cujos solos isolados, como solo de guitarra, são bastante agudos e se tornam desagradáveis para ouvir.”

Fonte: G1

Related

Brasil 3729213172693573453

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item