Psicóloga achada em porta-malas fingiu crime e se matou

A mulher foi encontrada pelo marido morta e amarrada dentro de carro em agosto do ano passado em Pouso Alegre. Com informações de O Tempo Po...

A mulher foi encontrada pelo marido morta e amarrada dentro de carro em agosto do ano passado em Pouso Alegre.

Com informações de O Tempo

Polícia Civil de Minas Gerais concluiu que a psicóloga Marilda Matias Ferreira dos Santos, de 37 anos, encontrada morta em agosto do ano passado dentro do porta malas do seu carro, tirou a própria vida e tentou simular um homicídio em Pouso Alegre, Minas Gerais. A conclusão do inquérito foi divulgada nesta quarta-feira (16) em coletiva de imprensa.

Foto: Reprodução

 A psicóloga foi encontrada pelo marido na manhã do dia 22 de agosto do ano passado, dentro do porta malas do carro, com as mãos e os pés amarrados de forma frouxa e simples. Na época, Marilda havia dito ao marido que iria sair para pedalar e não levaria o celular. Como ela não chegou em casa, o marido se preocupou e começou as buscas.

VEJA MAIS
A polícia encontrou o diário de Marilda, e as anotações indicariam que ela estaria com depressão. "Todos esses contextos permitiram concluir que ela praticou suicídio, montou esse cenário e algumas fantasias para demonstrar que seria um crime, porque ela não tinha essa coragem de praticar o suicídio perante pacientes e à sociedade, então ela queria ocultar e demonstrar que faleceu por homicídio, mas de maneira alguma tentou incriminar o próprio marido", explica o delegado Rodrigo Bartoli.

A polícia também concluiu que a causa da morte for por asfixia e intoxicação, depois da psicóloga se trancar dentro do carro. O inquérito foi encerrado e será arquivado junto à justiça.

Fonte: DOL

Related

Brasil 1803084920593246089

Veja também

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook

Acompanhe-nos!



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item