Pedreiro é preso por engano no Ceará após erro de digitação em mandado de prisão da Justiça do Piauí | Diário Sobralense News

Pedreiro é preso por engano no Ceará após erro de digitação em mandado de prisão da Justiça do Piauí

A pessoa que deveria ter sido presa se chama Weverton da Silva Fernandes. O inocente preso no Ceará é Weverton Fernandes da Silva, que pass...

A pessoa que deveria ter sido presa se chama Weverton da Silva Fernandes. O inocente preso no Ceará é Weverton Fernandes da Silva, que passou três dias em detenção acusado de um crime de estupro.
Lorena Tavares/SVM



O pedreiro cearense Weverton Fernandes da Silva passou três dias em uma detenção em Missão Velha, cidade do Ceará, acusado de um crime de estupro que não cometeu. Ele foi vítima de um erro de digitação no mandando de prisão, expedido pela Justiça do Piauí. O verdadeiro criminoso é identificado como Weverton da Silva Fernandes.

O cearense Weverton, no entanto, nunca esteve no Piauí. Os dois têm o nome parecido, com sequência diferente de sobrenomes - o que foi confundido na hora da expedição do mandado.

"Tinha acabado de chegar do hospital, fui ficar com meu avô que tinha tido AVC (Acidente Vascular Cerebral). Estava almoçando quando chegou uma viatura. Fui de boa e quando cheguei lá tinha um mandado de prisão do Piauí. Não sei nem onde é que fica. E uma acusação grave de estupro como essa... Sou pai de família.", relatou a vítima à TV Verdes Mares.

Ele foi levado à delegacia de Missão Velha, Cariri cearense, no dia 8 de março. Ficou preso de sexta-feira até segunda (11). O advogado do caso, Wellinton Ribeiro Araruna, explica detalhes: "Quando fui analisar o processo, era de 2015, e o Weverton nasceu em 1996. Ou seja, naquela época ele só tinha 17 anos. Isso intrigou muito a gente na defesa, e repassamos para o delegado."

O advogado foi acionado pela mãe do cearense Weverton, e logo suspeitou das informações do mandado. Com as provas em mãos e enviadas à Justiça Cearense, o erro foi desfeito. A vítima conseguiu o alvará de soltura após três dias preso, mas ainda carrega as marcas do constrangimento.

Ainda se recuperando do susto, Weverton tenta fazer planos para o futuro. A família também segue assustada: "Fiquei muito abalada. Na época do crime meu filho tinha 17 anos e ainda estudava. Eu levava e trazia ele para a escola porque eu trabalhava lá também. Ele é um menino honesto e trabalhador.", desabafou Francisca Fernandes, mãe do pedreiro.

Fonte: G1 CE


Receba notícias do Diário Sobralense e fique por dentro de tudo!

Escolha a sua comunidade:
 WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
 Entrar no Grupo
 
TelegramEntre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo

Related

Ceará 4220726843282980776

Destaques da semana

Links indicados

item