Foragido por atentado à bomba no DF foi autuado por violar caixão e publicar foto de cadáver

O blogueiro Wellington Macedo de Souza, 47 anos, foi autuado na Justiça cearense por violar um caixão e expor o cadáver de uma mulher em Sob...

O blogueiro Wellington Macedo de Souza, 47 anos, foi autuado na Justiça cearense por violar um caixão e expor o cadáver de uma mulher em Sobral. 

Créditos: G1

Reprodução

Ele usou a foto de uma mulher morta, sem autorização da família da vítima, em uma fake news divulgada por ele sobre a primeira pessoa morta por Covid-19 na cidade de Sobral.

Ele está foragido pelos atentados a bomba ocorridos na véspera do Natal em Brasília. Outros dois suspeitos de envolvimento no caso estão presos.

O caso de vilipêndio de cadáver em Sobral ocorreu em março de 2020, quando o município ainda não tinha registrado óbitos pela Covid.

Conforme os documentos aos quais o g1 teve acesso, na denúncia consta que Macedo fez postagem em sua rede social do caixão aberto com o corpo enrolado em um pano branco, com um papel escrito "Óbito Covid-19". Na legenda ele divulgou a identidade da mulher de 51 anos e afirmou que ela era a primeira vítima da doença no município.

A mulher citada por Wellington Macedo tratava-se de uma moradora da localidade de Rasteira, na cidade de Forquilha, que havia sido transferida para o Hospital Regional Norte (HRN) após dar entrada na unidade de saúde local com dormência no corpo. Posteriormente ficou comprovado que o óbito dela não foi por Covid.

O blogueiro ainda postou vídeos em seu canal no YouTube repercutindo o caso e acusando o prefeito Ivo Gomes, que estava em seu primeiro mandato, de esconder o caso da população. Na ocasião, Ivo se pronunciou através das redes sociais negando o óbito. "Quando tiver, se tiver, serei o primeiro a vir a público com a informação. Não há razão para esconder", disse o prefeito, pedindo a população para evitar o compartilhamento de notícias que gerassem medo.

Família da vítima denunciou o caso

Após a repercussão da fake news com a foto do cadáver, a família da vítima procurou a Delegacia Municipal de Sobral para denunciar o uso da imagem com informações falsas, já que na declaração de óbito dela constava "causa indeterminada" e a mulher não havia apresentado sintomas gripais.

Conforme o depoimento dado pela filha da vítima, que terá a identidade preservada, quando o corpo da mãe chegou à casa, os parentes foram informados que o hospital não teria autorizado o velório e que o corpo deveria ser conduzido imediatamente para o cemitério.

Mesmo com as recomendações, a família ficou desconfiada e abriu o caixão no cemitério, momento que viram o corpo enrolado no lençol, com o papel alertando sobre óbito por Covid, e fizeram uma foto para questionar ao hospital. A imagem foi a mesma publicada sem autorização pelo blogueiro.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Ceará, Welington Macedo já tem antecedentes por contravenção penal, denunciação caluniosa e crime contra a incolumidade pública. Ele também é investigado por dano qualificado, incêndio majorado, associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito e tentativa de golpe de Estado.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Ceará 992005132100798591

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item