Mulher que morreu após tumulto em promoção de picanha foi comprar carne para comemorar aniversário da mãe

O tumulto aconteceu no domingo (2), dia do primeiro turno das Eleições de 2022 Do G1  A mulher que morreu após passar mal durante um tumulto...

O tumulto aconteceu no domingo (2), dia do primeiro turno das Eleições de 2022

Do G1 

A mulher que morreu após passar mal durante um tumulto na entrada do Frigorífico Goiás tinha ido aproveitar a promoção da "picanha mito" para comprar carnes a fim de comemorar o aniversário de 71 anos da mãe, conforme explicou um irmão da vítima. Um vídeo mostra a confusão no local.

Reprodução

"Muito triste. Inclusive, a carne era para celebrar o aniversário da nossa mãezinha", desabafou o irmão, que não quis se identificar.

Uma funcionária do Frigorífico Goiás disse por telefone, nesta terça-feira (4), que a empresa não vai se manifestar sobre o caso.

O tumulto aconteceu no domingo (2), dia do primeiro turno das Eleições de 2022, após o Frigorífico Goiás anunciar uma promoção em suas redes sociais de que o quilo da picanha seria vendido a R$ 22 para quem estivesse usando a camiseta do Brasil. O valor original era R$ 129,99.

Yeda Batista da Silva, de 46 anos, tinha ido ao frigorífico com o marido comprar carne para o aniversário da mãe, que completa 71 anos nesta terça-feira. Segundo o irmão, ela passou mal no meio do tumulto e foi embora para casa. Em seguida, foi levada pelo marido a um hospital e, horas depois de ser internada, morreu devido a uma hemorragia.

Familiares registraram boletim de ocorrência relatando a morte para a Polícia Civil. O caso foi registrado inicialmente como morte acidental.

Veja também:

Aglomeração na porta

O marido da vítima é bombeiro aposentado e disse que ela já tinha uma doença preexistente. Segundo ele, o casal foi ao frigorífico e houve uma aglomeração na porta. Com isso, a mulher acabou sendo espremida e decidiu esperar pelo marido no carro.

Quando o homem voltou, percebeu que a perna da esposa estava muito inchada e ela reclamava muito de dor. O casal, então, voltou para casa.

O marido contou ainda que saiu para votar, mas a esposa ligou dizendo que seguia com muitas dores. Ele voltou e a levou a um hospital para receber os primeiros atendimentos.

Os médicos, então, a transferiram para uma unidade especializada em angiologia, pois o problema era vascular. Porém, a mulher não resistiu e morreu devido a uma hemorragia.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Brasil 1495142387613563737

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item