Brasil vai "amanhecer em guerra" se Lula for eleito, diz Ciro Gomes

O pré-candidato do PDT para a presidência da República, Ciro Gomes , afirmou ontem, em entrevista ao podcast Flow, que o Brasil irá "am...

O pré-candidato do PDT para a presidência da República, Ciro Gomes, afirmou ontem, em entrevista ao podcast Flow, que o Brasil irá "amanhecer em guerra" se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sair vitorioso das eleições presidenciais este ano. 

Créditos: Portal Uol

Ciro criticava a falta de possibilidade de "pacificação do país" a partir de Lula e Jair Bolsonaro (PL), os dois melhores posicionados nas pesquisas eleitorais até o momento, e completou a frase do apresentador ao questionar como seria o dia seguinte ao pleito.

Receba as notícias do Diário Sobralense no seu Telegram


"Você acha que se o Lula for eleito o país vai amanhecer mais ou menos pacificado? [Vai amanhecer...] em guerra. Você acha que o Lula tem condições de oferecer uma agenda de enfrentamento à corrupção? Ele não tem condição nem de falar no assunto", disse Ciro Gomes, em entrevista ao podcast Flow.

Em terceiro lugar nas últimas pesquisas, Ciro Gomes registrou 9% das intenções de voto nas mais recentes pesquisas Ipespe e FSB. No Datafolha do fim de maio, o ex-governador do Ceará obteve 7% na pesquisa estimulada — quando o entrevistado recebe uma lista com o nome dos pré-candidatos.

Enquanto isso, Lula teve 45% das intenções de voto na pesquisa estimulada da última Ipespe, enquanto Bolsonaro, que busca a reeleição, apareceu com 34%. Na pesquisa FSB, o petista registrou 46% das intenções de voto, e o atual presidente 32%. No Datafolha, Lula obteve 48% e Bolsonaro, 27%.

"Todo mundo me humilha"

Na entrevista, Ciro disse ser "humilhado" por declarações que afirmam que ele não tem chances de vencer as eleições, mas reafirmou que não pretende desistir de concorrer neste ano. "Fui candidato já três vezes. Se eu não tivesse muito amor ao Brasil, colocava minha viola no saco e ia cuidar da minha vida. Mas estou aqui agarrado, feliz da vida. Todo mundo me humilha — 'ah, não tem chance'. Deixa o povo votar", afirmou.

O pré-candidato também explicou que sua estratégia é conquistar o eleitorado que prefere não votar nem em Lula, nem em Bolsonaro. Segundo ele, há uma "omissão ativa" da população em não buscar opções aos dois melhores colocados.

Veja também:


"Imagina meu sentimento pessoal? 64 anos de idade, 40 dedicado a isso. Não tenho nada, empresa, coisa nenhuma, só dedicado a isso. Acordo de madrugada, durmo tarde, faço pelos cotovelos, ouço as agressões mais insultuosas, tipo lá o Duvivier, o cara vai lá no programa com maior leviandade...", disse, mencionando um debate com o ator Gregório Duvivier que rendeu um atrito entre ambos.

O resultado da pesquisa espontânea da última análise do Ipespe, feita sem mencionar o nome dos pré-candidatos, aponta que 16% não souberam responder em quem votariam, enquanto 8% apontaram voto branco ou nulo. No entanto, ao se apresentar os nomes disponíveis para a disputa, essa margem cai: na estimulada, 5% disseram que não iriam votar ou iria optar pelo branco ou nulo; outros 2% não souberam responder qual candidato escolheriam.

Siga o Diário Sobralense no Google Notícias e acompanhe as notícias do dia em primeira

Related

Politica 4111162052031272853

Veja também

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook

Acompanhe-nos!


Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item