Alanis Guillen fala de triângulo amoroso em Pantanal: “Tensão sexual”

Em entrevista, a atriz que dá vida à Juma explica como tem recebido o retorno dos fãs da novela nas redes sociais Créditos: Metropoles Receb...

Em entrevista, a atriz que dá vida à Juma explica como tem recebido o retorno dos fãs da novela nas redes sociais

Créditos: Metropoles

Receba as notícias do Diário Sobralense no seu Telegram

Alanis Guillen tem se consagrado como uma das principais atrizes da nova geração da TV brasileira, graças à personagem Juma, de Pantanal. O folhetim, sucesso no horário nobre da Globo, alavancou a carreira da jovem que, até então, era conhecida apenas como ex-Malhação.

Globo/Reprodução

“É uma novela que gera uma catarse muito forte em todos, uma obra que não aponta nada, mas que provoca. Nos desperta os sentimentos mais humanos e contraditórios”, pondera Alanis, sobre o motivo de o remake de Bruno Luperi ter conquistado o gosto popular.

A atriz diz não perder nenhum capítulo da novela e se divertir com os comentários nas redes sociais. “O retorno tem sido de muito carinho e encantamento. E a maior e melhor surpresa é ver um público diverso, de todas as idades, lugares e tribos envolvidos com Pantanal”.
Futuro de Juma

Nos capítulos mais recentes de Pantanal, o marasmo na vida de Juma e a indecisão da personagem entre os dois filhos de José Leôncio (Marcos Palmeira), Jove (Jesuíta Barbosa) e José Lucas (Irandhir Santos), além do roteiro e diálogos repetitivos, têm desagradado parte da crítica e dos espectadores.

Apesar disso, Alanis afirma que há muita profundidade no triângulo amoroso que envolve os personagens. Para ela, a menina-onça sente, apenas, uma “tensão sexual” pelo ex-caminhoneiro. “José Lucas de Nada provoca desejo carnal. Já pelo Joventino, ela sente amor. Só que Juma não entende o que é essa sensação que José Lucas a provoca, por isso ela se revolta. ‘Como posso amar Jove e desejar Ze Lucas?'”, explica a atriz.

Veja também:

Nas próximas cenas, o clima de atração entre José Lucas e Juma ficou ainda mais evidente. Entretanto, a Marruá manterá o respeito ao amor que conquistou fãs desde o início da novela.

Com o fim das gravações no Centro-Oeste, Alanis garante guardar as melhores recordações das paisagens do local. “Digo que o Pantanal é um universo paralelo. O tempo lá é diferente, os sons, as cores, animais, calor. Foi muito bom poder voltar lá e gravar mais uma parte da novela. É um lugar onde não adianta criar expectativas porque somos sempre surpreendidos a cada momento”, conclui.

Siga o Diário Sobralense no Google Notícias e acompanhe as notícias do dia em primeira

Related

Novelas 1848325645389312204

Veja também

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook

Acompanhe-nos!


Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item