SindiUVA denuncia sucateamento da universidade e abandono do CCH

Segundo o sindicato , o prédio não tem a mínima condição de higiene, já está a cargo de apenas dois funcionários terceirizados, que trabalha...

Segundo o sindicato, o prédio não tem a mínima condição de higiene, já está a cargo de apenas dois funcionários terceirizados, que trabalham sem água para beber e sem local para fazer suas necessidades fisiológicas.

O Sindicato dos Docentes da Universidade Vale do Acaraú – SindiUVA, em Sobral-CE, denunciou nesta sexta-feira (20/8) em sua página do Facebook, o sucateamento da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA e o abandono do Centro de Ciências Humanas – CCH. Segundo o sindicato a situação do CCH, campus Junco em Sobral, entristece, revolta e indigna a sociedade cearense.


O vice-presidente do sindicato, Joannes Forte, falou com o Portal Paraíso e acrescentou outros pontos de descaso com o CCH que não foram citados na nota, como o roubo de material, tiroteio de bandidos com a polícia, dentro do Centro. Em outro momento um funcionário foi abordado por três delinquentes armados que invadiram o espaço.

“Obtivemos informação de que, além dos delinquentes que já levaram vários objetos do CCH, os próprios funcionários da empresa contratada para a reforma furtaram muita coisa, como linhas de madeira, fios elétricos, eletrodutos, etc.” denunciou o vice-presidente do SindiUVA.

A denúncia se estende ao Campus Betânia, que segundo Joannes Forte, é instalado num complexo de prédios alugados, quando a Universidade deveria ter prédio próprio e não precisar gastar em 12 meses cerca de R$ 1 milhão com alugueis.

Para Joannes Forte, o impacto da pandemia não justifica o abandono do prédio. O governo deveria ter mantido reformas e manutenção dos prédios da Universidade

Na nota o sindicato afirma que o campus do bairro do Junco precisa de uma grande reforma, reivindicação histórica do movimento docente, SindiUVA, discente, diretório Central dos Estudantes (DCE) e comunidade acadêmica em geral, através de greves e mobilizações ocorridas nas últimas décadas.

A reforma até que foi iniciada em fevereiro de 2019, com o custo de R$ 769.657,05 mil e, de acordo com a previsão estampada na placa o prazo de conclusão seria em 180 dias, mas há quase três anos, não foi concluída e o prédio encontrasse em estado de abandono.

De acordo com o SindiUVA, não há condições higiene e nem água para beber no prédio e, durante o dia, dois funcionários, sendo um guarda e um terceirizado, trabalham em condições absolutamente precárias. Não há sequer um ventilador e só parte do prédio tem energia elétrica, a outra fica sem iluminação à noite. Equipamentos = a Biblioteca e seu acervo histórico, ainda dos séculos XVIII, XIX, XX e XXI está sendo consumido pelo tempo e pelas traças.

No final da nota o sindicato conclama toda sociedade cearense para apoiar a luta pela UVA, em especial pelo CCH, que segundo o sindicato, está em ruínas, abandonado pelas autoridades públicas responsáveis pela situação do órgão e pelos danos causados ao patrimônio material e intelectual do Estado do Ceará.

O Portal Paraíso foi ao local, mas um funcionário que não quis se identificar, disse que não tinha autorização para permitir a entrada dos repórteres.

Veja a nota na íntegra:

Related

Sobral 6490934065279351821

Links indicados

Destaques da semana

Siga-nos no Facebook

Rádios Parceiros


Sites parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Page Rank

seo checker

Total de visualizações

item