Dez sobralenses são vítimas de suposto tráfico internacional de pessoas

Família afirma que parentes desaparecidos foram vítimas de suposto tráfico humano internacional. Com informações de Ana Karine / Sistema Par...

Família afirma que parentes desaparecidos foram vítimas de suposto tráfico humano internacional.

Com informações de Ana Karine / Sistema Paraíso

Foto: ilustrativa

Uma sobralense de apenas 19 anos, é mais uma jovem que deixa Sobral em busca de melhores condições de vida. Atravessou o oceano para trabalhar em Portugal. Tudo se encaminhava bem até receber uma proposta para trabalhar em Bangkok, capital da Tailândia. Como a proposta era tentadora, ela arrumou as malas e se mudou com o companheiro.

A jovem e seu companheiro mantinham contato com a família, apenas por mensagens, sem voz e sem vídeo, o que levantou a suspeita de tráfico de pessoas, e que eles estariam trabalhando em situação análoga de escravidão.

O tio de uma das vítimas e morador da cidade de Sobral (onde também residem outros familiares), em entrevista ao Portal Paraíso, relatou que todos estão abalados e desde então ele vem preparando sua mãe para revelar a gravidade do caso.

Perguntado sobre a veracidade do boletim de ocorrência que recebemos, ele conta “A informação é verdadeira, mas é um assunto muito delicado e não queremos entrar em detalhes por enquanto. Estou tentando ser forte para conversar sobre isso com minha mãe”.

O casal que morava em Sobral até outubro de 2021, foram convidados para trabalharem com criptomoedas em Bangkok, capital da Tailândia. A proposta era ganhar salário no valor de 2.500 dólares, com comissão e despesas pagas, o que fez o casal aceitar.

O pai dela que buscou registrar o boletim de ocorrência. Não sabíamos bem como recorrer nessa situação. Estamos sofrendo muito”, com a voz já embargada, o tio da vítima continua em ligação “Agradeço pelo contato e por de alguma forma tentarem ajudar na investigação”.

De acordo com as informações colhidas, o pai da jovem contou à Delegacia Regional de Sobral, em boletim de ocorrência, que sua filha foi para Portugal por motivos empregatícios e melhor qualidade de vida.

Na última conversa com a filha, ele descobriu que o país estará deportando os 10 brasileiros e sua filha seria uma dessas pessoas.

“Vivi momentos de horror que não desejo a ninguém. Há alguns meses ela estava trabalhando em paz e depois de uma proposta feita, a vida da minha filha e da minha família mudou completamente. Só quero que ela fique bem”, diz o pai aliviado.

Em outro caso, uma família também lamenta o desaparecimento de seu filho, residente de Maringá. O homem recebeu a mesma proposta que o casal sobralense descrito acima. As datas da viagem foram respectivamente, 11 de agosto deste ano em Dubai e 12 de agosto em Bangkok. A mãe afirma que a última vez que pôde falar com seu filho foi no dia 16 de outubro e a desconfiança aumentou quando o rapaz fez apenas uma ligação de vídeo em um quarto escuro.

Veja também:
Os familiares das vítimas informam que investigaram mais sobre o trabalho dos filhos e receberam informações que dois homens eram chefes de um grupo criminoso, que captam jovens brasileiros para trabalharem em uma suposta empresa de criptomoedas em Bangkok na Tailândia, ofertando vantagens financeiras, que são desfeitas logo após as vítimas chegarem. No momento são levados por pessoas armadas até Myanmar, ocasião em que têm os passaportes e celulares confiscados, sob o pretexto de estarem regularizando os vistos dos jovens. No depoimento consta que quando os jovens chegam em Myanmar, são obrigados a criar vínculos com possíveis alvos nas redes sociais.

Segundo informações, os suspeitos recebem 500 dólares por cada captação.

Na empresa de criptomoedas, além de obrigarem pessoas a conquistarem mais “ajudantes”, há a obrigação de trabalhar 14 horas por dia em um local fechado e protegido por “seguranças” armados, que realizam punições com isolamento em celas fechadas e escuras no caso de “desobediência”.

Os familiares afirmam que denunciaram o esquema criminoso em 16 de outubro, numa embaixada (que posteriormente descobriram ser falsa). De acordo com o último relato do pai da jovem sobralense, os suspeitos afirmaram que iriam soltá-la há alguns dias, mas até o fechamento da matéria não há informação concreta de quando ela irá voltar para a família.

DETALHE

As fotos e os nomes das vítimas não foram divulgados por solicitação dos familiares.

Receba notícias do Diário Sobralense pelo Google Notícias | Facebook | Twitter | Telegram

Related

Sobral 5412373437681449200

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item