Policial que matou petista vai para prisão domiciliar, decide Justiça

O policial Jorge Guaranho , que assassinou o tesoureiro do PT Marcelo Arruda, recebeu alta do hospital nesta quarta-feira (10) e foi para ca...

O policial Jorge Guaranho, que assassinou o tesoureiro do PT Marcelo Arruda, recebeu alta do hospital nesta quarta-feira (10) e foi para casa, onde ficará em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica. A Justiça tomou a decisão afirmando que ele precisa de cuidados médicos.

Siga o Telegram do Diário Sobralense e fique por dentro das últimas notícias de hoje.


Reprodução

 Conforme o magistrado Gustavo Germano Francisco Arguello, a defesa também argumentou que não há estrutura no sistema penal para recebê-lo. Anteriormente, a Justiça havia negado o pedido.

Guaranho chegou a ir à Penitenciária Estadual de Foz 2, em Foz do Iguaçu, oeste do Paraná, segundo o G1 apurou. O policial só poderá sair de casa em caso de necessidades médicas.

"Não bastasse a absurda situação de se constatar a total incapacidade técnica do Estado em cumprir a ordem judicial que decretou a prisão preventiva do réu, tem-se a inacreditável omissão em comunicar tempestivamente a sua inaptidão. Criou-se, com tal demora, uma situação teratológica que estarrece: o réu encontra-se em alta hospitalar (aparentemente desde o início da tarde deste dia), todavia, não está inserido em nenhuma unidade prisional", ponderou o juiz do caso.

REVISÃO DA PRISÃO

A prisão domiciliar poderá ser revista. Conforme a decisão judicial, ela é válida "até que seja possível eventual remanejamento do réu para estabelecimento adequado, ainda que em outro Estado da Federação".

O Departamento de Polícia Penal do Estado do Paraná (Deppen) deverá ser notificado para pedir uma vaga para Guaranho em prisão federal.

MORTE DE PETISTA

Marcelo Arruda foi morto a tiros pelo policial penal Jorge José da Rocha Guaranho, que é apoiador de Jair Bolsonaro, o dia 10 de julho.

O homem invadiu a festa de Marcelo durante a festa de aniversário com temática do PT e fez vários disparos, resultando na morte do petista. Guaranho também foi atingido por Marcelo, que era guarda municipal. Ele ficou em estado grave.

 Veja também:
Guaranho foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e causar perigo comum. A Polícia Civil divulgou que o assassinato do ex-tesoureiro do PT não foi por motivação política.

"É difícil nós falarmos que é um crime de ódio, que ele matou pelo fato de a vítima ser petista", afirmou a delegada Camila Cecconello.

Fonte: DN

Related

Brasil 5979232993350022771

Destaques da semana

Links indicados

Siga-nos no Telegram

Siga-nos no Facebook



Sites Parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Sites parceiros

38ba90fa0ec5e1eb24841c49ef10895998492859
item