Polícia Civil do Ceará fecha empresa que distribuía oxigênio hospitalar adulterado para cidades cearenses e até para outros estados

  Uma investigação conduzida pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) resultou no fechamento de um galpão onde era realizada a adulteraç...

 Uma investigação conduzida pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) resultou no fechamento de um galpão onde era realizada a adulteração de oxigênio hospitalar, na Região Norte do Ceará. De acordo com as investigações da Delegacia Regional de Tianguá, a empresa era responsável pela distribuição dos cilindros para unidades de saúde na Serra da Ibiapaba, além de outras cidades cearenses e até para outros estados nordestinos, como Maranhão e Piauí. O flagrante foi realizado neste sábado (13), no município que integra a Área Integrada de Segurança 14 (AIS 14) do Estado. O local possui relação com uma empresa fechada em 2020, na Região Metropolitana de Fortaleza, onde ocorria a mesma prática criminosa.

Os policiais civis chegaram ao galpão onde o oxigênio era armazenado de forma irregular, na localidade de Antão, Tianguá (CE). Um fato que chamou atenção dos investigadores foi a aparência da propriedade que não apresentava nenhuma estrutura, tampouco permissão para a realização dos procedimentos. Foram encontrados diversos equipamentos e ferramentas usadas para realizar o armazenamento do oxigênio e o preparo dos cilindros.

A Polícia Civil apreendeu, ainda no local, lacres com a identificação de uma empresa que foi fechada em novembro de 2020, em Caucaia (CE), após uma operação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) que contou com o apoio da PCCE, da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e também da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce). À época, o dono da empresa, que é filho do proprietário do galpão fechado hoje em Tianguá, foi preso.

“O rótulo com o nome dessa mesma empresa era usado aqui nesse galpão encontrado em Tianguá. Eles mesmos pegavam os clindros de oxigênio, colocavam o lacre, e usando um soprador térmico, lacravam o produto. Foram encontradas ferramentas e equipamentos que eram utilizados para retirar o oxigênio de um cilindro e colocar em outro, procedimento que eles não podem fazer, porque se trata de um processo feito em indústrias”, destacou o delegado Regional de Tianguá, Miguel Sales.

O funcionário do local, Francisco Souza Teles, 26 anos, foi preso em flagrante. Ele foi encaminhado à Delegacia Regional de Tianguá da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), onde foi autuado em flagrante por falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais. A pena é de reclusão de 10 a 15 anos e multa. A Polícia Civil segue investigando o caso.


Denúncia

A população pode contribuir com o trabalho das forças de segurança, repassando informações que ajudem nas investigações. As denúncias podem ser feitas pelo número (88) 3671-9328, da Delegacia Regional de Tianguá. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Fonte:sspds.ce.gov.br

Related

Polícia 7454311431774780370

Links indicados

Destaques da semana

Siga-nos no Facebook

Rádios Parceiros


Sites parceiros

GeraLinks - Agregador de links

Page Rank

seo checker

Total de visualizações

item