Brasileiro é enforcado em praça pública na Bolívia

Brasileiro que foi buscar emprego na Bolívia e pretendia estudar medicina no país é linchado e enforcado em praça pública. Família conte...


Brasileiro que foi buscar emprego na Bolívia e pretendia estudar medicina no país é linchado e enforcado em praça pública. Família contesta versão da mídia boliviana e Ministério das Relações Exteriores divulga nota


Um brasileiro foi linchado por dezenas de pessoas e enforcado em praça pública no povoado de San Julián, na Bolívia, na última segunda-feira (19).
O assassinato brutal do amapaense Vinícius Chagas Maciel, de 32 anos, chocou seus familiares e amigos e ainda está cercado de perguntas sem respostas.

A mídia boliviana noticiou que o brasileiro foi enforcado por uma multidão que o alcançou depois que um casal denunciou ter sido cobrado por uma suposta dívida por dois homens armados.

O outro brasileiro conseguiu fugir do lugar em uma caminhonete. Ainda segundo a imprensa local, a polícia tem dificuldade de entrar na cidade de San Julián.

Os familiares do brasileiro contestam a versão oficial apresentada na mídia e confirmada por moradores. Para a família de Vinícius, ele teria sido confundido com um assaltante.

“Meu irmão saiu daqui de Santana para ir trabalhar na Bolívia em uma oficina de carros e, pelo que soubemos de conhecidos de lá, ele foi fazer a cobrança de um casal e a mulher saiu gritando que estava sendo assaltada, aí a população o pegou e fez isso”, disse Vitória Maciel, irmã de Vinícius.

A mulher afirmou ainda que o irmão trabalhava em uma oficina de carros e estava se planejando para estudar medicina na Bolívia. Segundo Vitória, a família ficou sabendo da morte de Vinícius pelas redes sociais e todos estão profundamente abalados.

“Soubemos da pior forma, através do Facebook, que foi como repercutiu o caso lá. Foi uma tortura e uma barbárie o que fizeram e eles ficavam postando no ‘face’. Minha mãe está sedada”, lamentou a irmã.

Ainda de acordo com Vitória, horas antes do assassinato, Vinícius Maciel enviou mensagens para o WhatsApp da mãe, falando de saudade. Ele também enviou uma foto tirada na praça onde, mais tarde, foi morto.

Vinícius era casado, mas estava em processo de separação. Ele deixa uma filha de seis anos, três irmãos e a mãe.
Brasil cobra explicações

O Ministério das Relações Exteriores informou, em nota divulgada nesta sexta-feira (23), que pediu à Embaixada Brasileira em La Paz, capital da Bolívia, que atue junto às autoridades bolivianas para apressar as investigações sobre a morte de Vinícius.

“O Consulado-Geral em Santa Cruz de la Sierra foi instruído a auxiliar nos procedimentos documentais e logísticos pertinentes e acompanhar o início das diligências policiais. A Embaixada em La Paz foi instruída a manifestar às autoridades bolivianas repúdio ao crime que vitimou o cidadão brasileiro, instando-as a procederem às investigações necessárias com toda a celeridade e rigor”, cita trecho da nota.

Acompanhe-nos no Twitter Facebook

Fonte: Pragmatista Politico

Related

Mundo 1605284451810046072

Mais lidas

CURTA NOSSA PÁGINA

SIGA-NOS

Seguir por Email

Sobral tec

Instituto formar

SOBRAL NET

SOBRAL NET

R DIAS

R DIAS

pizza na pedra o mario

ótica do trabalhador

Elite Educação

item
http://go.oclasrv.com/afu.php?zoneid=2028681