Veja mais:

Saiba como alimentar seu filho de acordo com a idade

Pais devem preconizar a oferta de pratos que possuam uma porção de carboidratos, leguminosas, proteína, verdura e dois tipos de legumes Ag...

Pais devem preconizar a oferta de pratos que possuam uma porção de carboidratos, leguminosas, proteína, verdura e dois tipos de legumes

Agência O Globo
Ter um filho significa assumir inúmeras responsabilidades, e uma delas é com a alimentação da criança. Durante os seis primeiros meses, a recomendação é que o bebê consuma apenas o leite materno. Mas algumas mães precisam voltar a trabalhar antes de acabar o período de amamentação exclusiva. Nesses casos, há duas soluções, como aponta a nutróloga pediátrica Monica Moretzsohn, do Departamento Científico de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP):

— O ideal seria que elas conseguissem manter a amamentação exclusiva durante este período, tirando o leite com bombinha e dando para o bebê, mas isso não é a realidade da maioria. Então, nesses casos, é indicado começar com a fórmula infantil própria para bebês com menos de 6 meses. É preciso reforçar que as crianças com menos de 1 ano não podem tomar leite de vaca.
Foto: Reprodução /  Shutterstock.com
Após os 6 meses, é preciso fazer o filho experimentar os alimentos, já que a amamentação não supre mais — sozinha — as necessidades dele. É nesta época de complementação alimentar que surge outro grande desafio para os pais.

— Muitos acham que esta fase será fácil, mas a realidade é que a criança vai cuspir, vai fazer cara feia, até ela entender que este é um novo processo, já que ela vai se deparar com outros sabores e texturas. Por isso, é preciso ter paciência e muita calma, porque o bebê vai se adaptando aos pouquinhos — alerta Luna Azevedo, nutricionista materno-infantil da clínica Nutrindo Ideais.

Inclua novos alimentos gradualmente


A complementação alimentar deve ser feita de maneira gradual. A nutricionista materno-infantil Alexandra Marinho recomenda inserir uma nova refeição a cada semana, começando pelo lanche de fruta, seguindo pelo almoço, outro lanche de fruta e o jantar. É preciso lembrar que o leite materno continua sendo importante para a criança e, por isso, quanto mais a mãe prolongar os meses de amamentação, melhor para o bebê. O intervalo entre uma refeição e outra deve ocorrer a cada duas ou três horas.

— A introdução alimentar é uma das partes mais importantes em relação à alimentação do ser humano. Se ela for feita de maneira correta, a tendência é ter uma criança mais adepta a provar novos sabores, que não vai mostrar tanta resistência às mudanças que forem apresentadas pelos pais e vão receber melhor os pratos coloridos — diz Alexandra.

Os pais devem preconizar a oferta de pratos que possuam uma porção de carboidratos, uma porção de leguminosas, uma porção de proteína, uma verdura e dois tipos de legumes, preferencialmente de cores diferentes.

— Quem determina o que a criança deve comer são os pais, já a quantidade deve ser escolhida pela criança — finaliza Monica.
Foto: Reprodução / Agência O Globo

Informações importantes


A partir dos seis meses, os pais podem dar todos os tipos de comida para o filho, até aqueles considerados mais alergênicos como ovo, peixe e frutos do mar. Mas é preciso tomar cuidado com a higienização e o preparo da comida, pois uma diarreia, por exemplo, pode fazer muito mal para a criança

Para repetir um alimento (fruta, verdura ou proteína) espere pelo menos dois dias. Por exemplo, se a criança comeu banana no domingo, espere até quarta para dar novamente. Em casos de apresentação de alergias, isto contribuirá para a identificar melhor o agente causador

O sal está proibido para a criança até que ela complete um ano de idade. Neste período, a comida dela deve ser preparada separadamente da refeição da família. Após completar um ano, ela pode comer a mesma refeição que a família

A recomendação é que os pais evitem dar sucos aos seus filhos antes de um ano de idade. O ideal é trocar o líquido pela fruta e oferecer água à criança

O açúcar não deve ser dado à criança até que ela complete dois anos de idade. Depois dos 24 meses, a recomendação é evitar ao máximo a adição de açúcar, principalmente o refinado (isto vale para todas as idades)

Para garantir a nutrição e o desenvolvimento da criança, recomenda-se que os bebês sejam alimentados de forma mista: refeições dadas em colher (com alimentos amassados ou picadinhos) e em pedaços, cortando uma maçã, por exemplo, em um tamanho em que a criança consiga segurar com a mão, mas não se engasgue (este é o método BLW)

Quando a criança começar a recusar alimentos como verduras e legumes, por exemplo, os pais devem continuar insistindo. Uma boa maneira de conquistar a criança é montando pratos de maneira lúdica, formando desenhos

Durante o crescimento da criança, é importante ficar de olho no consumo de cálcio, principalmente na fase da pré adolescência (aos 10 anos), pois este nutriente é fundamental para a formação dos ossos

Related

Saúde 7283571910516275774

Mais lidas

Links indicados

CURTA NOSSA PÁGINA

Seguir por Email

Confira

Sobral tec

SOBRAL NET

SOBRAL NET

R DIAS

R DIAS

pizza na pedra o mario

Elite Educação

ótica do trabalhador

item
http://go.oclasrv.com/afu.php?zoneid=2028681