Veja mais:

Fortaleza é a capital brasileira com maior redução de pessoas em extrema pobreza

Fortaleza foi a Capital brasileira que mais reduziu o número de pessoas na extrema pobreza, em 2017. A queda de 52,3% foi destaque na Pes...

Fortaleza foi a Capital brasileira que mais reduziu o número de pessoas na extrema pobreza, em 2017. A queda de 52,3% foi destaque na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Anual (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Conforme o estudo, 60.579 pessoas, do total de 115.617 registradas no ano anterior, passaram a ter rendimento mensal per capta acima de R$ 85,00. A análise comparou a redução segundo os parâmetros do Programa Bolsa Família.
A segunda capital com maior taxa de redução foi Vitória, no Espírito Santo. Lá foi registrado um número 36% menor do que o verificado no ano anterior, entre aquela população que tinha renda per capta igual ou inferior a R$ 85,00, comparando 2017 com 2016.
Também registraram queda as cidades de Cuiabá (27,3%); Goiânia (26,3%) e Belo Horizonte 22,2%). Na sequência, três capitais da região Nordeste também se destacaram na diminuição da extrema pobreza. João Pessoa recuou 17,6%; Teresina, perdeu 15,8% de pessoas naquela situação; e Recife recuou 2,7% no índice.
Todas as demais capitais do País tiveram aumento de pessoas com renda inferior a R$ 85. O destaque negativo ficou por conta de Natal. A Capital Potiguar foi a que teve o maior aumento percentual do Brasil, com 123,1% a mais. Em seguida ficou Manaus, com acréscimo de 68.255 pessoas na faixa de renda per capita até R$ 85, representando avanço de 114,3% na condição, segundo a PNAD.
Já em números absolutos, o pior cenário percebido em todo o País foi em Salvador, na Bahia. Lá, o estudo percebeu que  86.672 pessoas caíram para a situação de extrema pobreza em 2017. Percentualmente, o avanço foi de 90,9%.
O fato de a Capital Cearense puxar a fila dos recuos do País animou o prefeito, Roberto Cláudio. “A conquista de Fortaleza neste campo torna-se ainda mais significativa porque somente oito das 27 capitais brasileiras conseguiram redução no número de pessoas que saíram da extrema pobreza. A PNAD revelou que cidades até mais ricas que Fortaleza, como São Paulo, Rio de Janeiro e até mesmo Brasília, registraram dados de crescimento no número em situação de extrema miséria”, afirmou o prefeito.
Conforme o gestor, o bom desempenho de Fortaleza é o resultado de “ações planejadas de governança, aliadas com investimentos públicos e privados que garantem geração de emprego e renda para a população”.
Estados
O resultado de Fortaleza ajudou o Estado do Ceará a apresentar a maior redução da extrema pobreza entre todas as unidades da Federação. Em 2017, conforme a PNAD, 730.794 pessoas viviam com renda per capita de até R$ 85 por mês. O número representa 3,57% (24.887) a menos em comparação com o ano de 2016, quando eram 755.681 miseráveis.
A queda foi a maior do País em números absolutos e a quinta em dados relativos entre os estados brasileiros. Apesar da redução, o Ceará ainda é o sexto Estado do País com maior número de pessoas vivendo com renda domiciliar per capita menor ou igual a R$ 85.
Na região Nordeste, o Ceará foi o único Estado a apresentar redução no índice da extrema pobreza. Todos os outros registraram aumento. Percentualmente falando, as maiores altas da região foram nos estados do Piauí (36,36%), Bahia (31,58%), Sergipe (28,38%), Rio Grande do Norte (20,63%) e Pernambuco (19,18%).
Os estados com os maiores crescimentos da população em extrema pobreza estão localizados na região Centro-Oeste do País. No Distrito Federal, o aumento foi de 56,25%. Já no Mato Grosso, o avanço atingiu 53,33%. Já o estado do Paraná, representante da região Sul, apresentou a terceira maior alta do Brasil, com 43,75%.
O Estado do Ceará apresenta ainda o sétimo maior índice de Gini – que mede a concentração de renda – do País (0,560). Quanto mais próximo de um, maior é a concentração da renda. Ainda segundo a PNAD, 1% da população cearense concentra os maiores rendimentos do Estado, com média de R$ 19.935 ao mês, ano passado.

Com informações Diário do Nordeste

Related

Ceará 152843330920208023

Mais Lidas

Links indicados

CURTA NOSSA PÁGINA

Seguir por Email

Confira

Publicidade

Sobral tec

SOBRAL NET

SOBRAL NET

R DIAS

R DIAS

pizza na pedra o mario

Elite Educação

ponto do consorcio

Máquina de Cartão de Crédito

item
http://go.oclasrv.com/afu.php?zoneid=2028681 http://go.onclasrv.com/afu.php?zoneid=1786153